domingo, 24 de fevereiro de 2013

Buenos Aires – Zoo Lujan



Para muitos, “a melhor atração turística de Buenos Aires” não fica propriamente em Buenos Aires. O Zoológico de Lujan, localizado no quilômetro 58 da “Autopista del Oeste”, distante 75 km da capital portenha, é diferente de todos os outros que você já viu.

O Zoo Lujan é um zoológico aberto. Os visitantes podem tocar nos animais, acariciar os tigres, entrar na jaula dos leões, pegar um filhote no colo, alimentar os elefantes e dar uma voltinha num dromedário. Por ser um lugar único, reconhecido como a maior reserva de felinos da América do Sul, recebe visitas do mundo todo.



Para começar, esqueça aquela imagem tradicional de um zoológico, bem organizado. O lugar é bem rústico, de terra batida, parece um sítio. Por isso, evite ir com chuva ou em um dia pós-chuva, pois fica com muita lama. Vá com roupa confortável e um sapato que você não vá mais usar pelo resto da viagem, fica tudo muito sujo. Leve lenços umedecidos para limpar as mãos após sair de cada jaula - o cheiro é horrível.



O Zoo Lujan existe desde 1994. No começo, eram não mais que 10 animais e um casal de leões. Com o tempo, novos animais chegaram, vindos de doações, permutas e compras de criadores de animais. Hoje, em um terreno de 15 hectares, estão abrigadas jaulas e setores arborizados, onde os visitantes podem, inclusive, acampar, passar o dia e fazer churrasco, além de interagir com os animais.

O grupo de leões africanos é o mais importante entre os felinos, com mais de 80 animais. Há também 20 tigres de Bengala e 12 onças. Há cerca de 50 macacos de diferentes espécies da América do Sul, bem como um casal de elefantes, Sharima e Arly, que chegaram a Lujan em 1999, comprados de criadores da Sumatra. Já o casal de ursos pardos Leonel e Florencia foram comprados do Zoológico de Batan, na cidade argentina de Mar del Plata, em 2008, ainda filhotes.





Nos finais de semana o parque fica cheio, então prepare-se para enfrentar filas nas principais atrações. Reserve umas 4 horas para o passeio, assim dará tempo de entrar nas jaulas que quiser e ainda curtir um pouco o dia. Se conseguir ir em um dia de semana será muito melhor, poderá ficar bem mais tempo com os animais.

Muitos consideram Lujan um lugar polêmico. Alguns acham que os animais são dopados, outros questionam se é possível domesticar espécies predadoras sem sedativos e colocá-los em contato direto com o público, sem riscos. Eles se orgulham em dizer que, desde a inauguração, nunca houve um acidente ou qualquer tipo de ataque por parte dos animais. Pessoalmente, não quero entrar nesta polêmica – cada um pode ter sua opinião, meu papel aqui é apenas descrever a atração.



Apenas posso dizer que os animais são extremamente mansos, nascem em cativeiro e são criados com cachorros nas jaulas, para que aprendam a não ter instintos violentos associados à competição por comida e serem mais dóceis. O constante contato com pessoas, sejam visitantes ou tratadores, os ajuda a serem sociáveis. Não existe nada no comportamento dos animais que indique que sejam dopados. Pudemos perceber que os animais são constantemente alimentados, não comem nada vivo e 100% da dieta deles é baseada em frango. Ou seja, aprendem desde cedo a não comer carne vermelha.



Por razões óbvias, as maiores filas são nas jaulas dos leões e tigres. Uma vez lá dentro, tratadores orientam todo o contato, o que pode e o que não pode fazer – por exemplo, apenas é permitido tocar a barriga dos animais, sempre com movimentos firmes e jamais fazer movimentos bruscos; é proibido dar as costas ou passar a mão na cabeça ou calda dos felinos; bolsas e mochilas devem ser deixadas fora da jaula; não é permitida a entrada de crianças nas jaulas dos animais adultos.



Respeitadas as regras, os visitantes podem acariciar os animais, tirar fotos e, dependendo do dia, até pegar um filhote no colo e alimentá-lo. São muitos animais, portanto há uma preocupação em fazer um revezamento, para evitar que os bichos fiquem estressados. Presenciamos o revezamento na jaula dos tigres.

O recinto dos elefantes fica na parte mais afastada do parque. Os visitantes pegam as frutas, erguem acima das suas cabeças e o elefante as pega com a tromba. O contato é legal, mas você sairá com a mão imunda.



Os visitantes também podem alimentar os ursos (no dia em que estivemos o parque, os ursos não queriam papo com os visitantes) e dar uma voltinha de dromedário.

Inúmeros e permanentemente famintos gansos ficam soltos no parque, te seguindo (e te cercando) por onde você for, principalmente se você estiver com uma bolsa, saquinho ou qualquer coisa nas mãos – os bichos associam com os saquinhos de comida que você pode comprar na entrada. Aliás, é incrível como, mesmo longe deles, um simples barulho de saquinho de batata frita abrindo pode chamar tanto a atenção – em segundos, você estará cercado. Ignore-os, dê as costas e saia andando, eles irão embora.

Pôneis, araras, gansos, bodes. Mas o destaque foi a llama tirando um cochilo e pegando um bronzeado!

Além dos animais, no local existe um museu ao ar livre de veículos militares, vagões ferroviários, máquinas agrícolas e outras quinquilharias. Para os dias de calor, o zoológico ainda conta com uma piscina, que pode ser usada gratuitamente pelos visitantes - apenas lembre de levar uma roupa de banho.



Algumas dicas importantes para evitar imprevistos:

1) Há um restaurante no local, porém eu recomendo levar algumas coisas na mochila – o lugar é feio e quente, os pratos são pequenos e caros;
2) Leve moedas ou notas de baixo valor, isso vai te auxiliar na compra de alimentos para animais e "gorjetas" para funcionários – em todas as atrações existe um cestinho com “ajude o zoo”, em que você depositar a sua contribuição espontânea, caso o tratador tenha sido atencioso;
3) Deixem que os profissionais tirem as fotos mais legais. Além de serem baratas, os fotógrafos são muito bons.


A llama gostou da Luciana!


Aranha e seu casulo


Pavão real

O passeio vale a pena? Claro que sim. Mas a conversa típica das agências de turismo, de que “os bichos têm vontade própria, podem levantar e ir para o canto dormir, sem nenhum tratador forçá-los a ficar acordados e tirar fotos”, é pura conversa pega-turista. Visitamos a jaula do leão logo após o almoço (dele, lógico), e pontualmente 1 hora após a refeição, o passeio foi reiniciado. O bicho estava dormindo tranquilamente, e foi acordado com um jato de água na cara. Sem reagir, prontamente colocou-se à disposição para as fotos, mas a cada 5 minutos deitava e ameaçava dormir – catzo, o bicho acabou de comer! Mas a cada tentativa de um cochilo, ganhava um jato na cara. Tiramos as fotos, mas saímos de lá um pouco incomodados. Aqueles animais mereciam um pouco mais de respeito.

Quer ver mais fotos? Clique aqui!

Endereço: Autopista del Oeste, km 58 - Lujan
Telefone: +54 (2323) 435-738
Horário de funcionamento: Todos os dias das 9hs às 19h30.
Quanto custa: AR$ 200 (R$ 62) para adultos não residentes, AR$ 80 (R$ 25) para menores entre 2 e 11 anos, AR$ 100 (R$ 31) para menores entre 12 e 18 anos, grátis para menores de 2 anos. Só aceitam dinheiro. Dólares e reais são bem-vindos, mas só para eles – a conversão é péssima.

Como chegar:
- Conforto: Agências de viagens organizam o translado e até um tour no Zoo. O pessoal da BsAs4U oferece serviço completo: atendimento em português, translado, entradas, guia particular e no final uma visita à Catedral de Lujan. Os preços começam em R$ 300 por pessoa.

- Custo/benefício: A FABEBUS oferece micro-ônibus com 18 lugares, confortáveis e com ar condicionado. A saída é em frente ao Hotel Republica, a poucos passos do Obelisco, na Avenida 9 de Julio. Custa AR$ 70 ida e volta, e vale a pena pela praticidade e rapidez – a viagem leva apenas 1 hora. A reserva é OBRIGATÓRIA – ligue no 02323-436304 ou 02323-430372. Importante: sem reserva, sem viagem. Para consultar os horários, clique aqui.

Para voltar, você pega o ônibus em frente ao Zoo. Normalmente, existe um funcionário da empresa na porta para orientar os visitantes e organizar as saídas.

- Mochileiro: O ônibus 57 da empresa Atlântida, com saídas a cada hora na Av. Sarmiento, pertinho da Plaza Itália e da estação de mesmo nome (Subte Línea D). A viagem custa AR$ 20, ida e volta. É um ônibus circular intermunicipal, que vai parando em vários pontos até o local – a viagem dura cerca de 2 horas. Se o preço é uma vantagem, por outro lado a viagem demora mais, e o ônibus, em alguns trechos, vai beeeeem cheio.

Compre as passagens de volta ainda em Buenos Aires para não ter problemas, pois os ônibus só aceitam moedas, e lembre-se de avisar o motorista que você vai descer no Zoo de Lujan.

Após descer, atravesse por baixo da estrada e encontrará uma placa indicando o zoológico. Para voltar, saia do zoológico e siga para a esquerda, em direção ao caminho que foi feito na ida. Pare na lateral do muro do zoo e aguarde. De hora em hora passa o ônibus que volta para a cidade, com ponto final na Plaza Itália. Passe o bilhete (comprado lá na Plaza Itália) na máquina, ou entregue as moedas para o motorista, e embarque.

Internet: www.zoolujan.com. O mapa das atrações pode ser consultado aqui.

43 comentários:

Clara Rodrigues disse...

Oi Daniel,
Obrigada por este post muito esclarecedor. Confesso que tive dúvidas se iria ou não ao Zoo Lujan. Segui sua dica da agencia, achei que pegar o ônibus urbano muito complicado, sobretudo porque não irei passar muito tempo em Buenos Aires. A agência que você falou me atendeu super bem. Dei uma pesquisada antes e parece que eles são super de boa e o preço acessível. Acho que segurança e comodidade são essenciais para fazer uma boa viagem.
Ansiosa pela viagem! E agora to usando as tuas dicas pra fazer minha lista de restaurantes!
Beijos
Clarinha

Daniel Neves disse...

Clara, o serviço da FABEBUS funciona super bem, vá tranquila e aproveite o passeio!

Como dica final, apenas programe-se para chegar no local marcado para pegar a van de retorno uns 15 minutos antes do horário. Muita gente esquece de marcar retorno, e a empresa espera até o último minuto pelas pessoas agendadas. Caso elas se atrasem, mudem de ideia, etc., os lugares são vendidos para os que não agendaram.

Chegando um pouquinho antes, você evita que eles "vendam" seu lugar, simplesmente por achar que você pode ter desistido.

Um abraço!

Ricardo "Governador" Penteado disse...

Daniel,
Muito obrigado!
Estamos passando o dia dos namorados aqui em Buenos Aires, e claro que temos que ir no zôo.
Achei seu site no google e adorei as dicas.
Sendo desconfiado, fui confirmar com a recepção do hotel (Duque Hotel) e de fato eles recomendaram o Fabebus!
Agora vou ter que gastar uma horinha lendo seu blog, mas parece que será um ótimo investimento!
Abraços

Ricardo "Governador" Penteado disse...

Caro Daniel,

Acabamos de voltar de Lujqn, e realmente foi fantástico!l

Só devo dizer que o Fabebus me decepcionou um pouco, o retorno foi bem confuso.

Mas ainda assim, de todos os países em que fui, Lujqn nos deu uma de nossas melhores experiências!

Mirian Pontes disse...

Obrigada!!
Achei pelo Google e considerei esse post maravilhoso! Muitos detalhes importantes. Obrigada.

disse...

Tbm encontrei seu post pelo Google e adorei. Obg! Estarei em Bs As em setembro e estou com receio de ir ao zoo com a Fabebus, pq li em vários posts q ela costuma não aparecer para buscar o pessoal, na volta de Luján.

Daniel Neves disse...

Olá Rê,

Posso falar com base na minha experiência, e não tive nenhum problema com a FABEBUS, o ônibus estava lá no horário para pegar o pessoal.

O que notei, como já expliquei aqui, é que as pessoas precisam chegar pelo menos 15 minutos antes do horário agendado - o ônibus chega, o pessoal entra, e 5 minutos antes da saída o pessoal que não agendou (e fica lá esperando) é liberado para entrar e o ônibus vai embora. Os caras querem ônibus lotado, e eles podem acabar passando outra pessoa na sua frente se você chegar atrasada. Esta é a parte chata.

Outro problema que pode ocorrer é atraso por causa de trãnsito na estrada. O cara pode decidir não pegar a estrada se o trãnsito estiver inviável.

Para evitar os dois problemas: chegue cedo e agende a volta considerando que você ficará no máximo 5 horas no parque. E na volta, chegue 15 minutos antes no lugar marcado.

O fato de algo ter ocorrido com outra pessoa não significa que ocorrerá com você. Não sei se abriria mão de um passeio tão legal por causa de um risco, então vale como recomendação levar uma graninha a mais caso seja necessário pegar um taxi, ou até mesmo programar-se para voltar com o ônibus 57 em caso de catástrofe.

Um abraço!

Anônimo disse...

Adorei as dicas. Iremos pela Fabebus em agosto próximo
Para agendar é necessária muita antecedência ou na véspera consegui os???

Daniel Neves disse...

Se possível, agende com umas 2 semanas de antecedência. Se deixar para agendar na véspera, dependendo do dia e horário, você correrá o risco de não ter mais vagas.

Anônimo disse...

Ok!
Muito, muito obrigada!

Anônimo disse...

Daniel: Obrigada pelas dicas. Completo, perfeito, não deixa nenhuma dúvida. Vou para BsAs em novembro, e farei este passeio que ainda não conheço. Obrigada
Suzete

Anônimo disse...

Caro Daniel, Boa Noite!!

Suas dicas foram valiosas, porém, não estou conseguindo fazer as reservas na FABEBUS.

Você sabe dizer se elas podem ser feitas por e-mail??

Não falo nada de Espanhol e não sei como contacta-los.

Uma ultima perguntinha.

minha gata faz questão de conhecer o Zoo Lujan, porem, tenho apenas 2 dias inteiros em B.A.

Você acha que umas 4 horas lá no Zoo seriam suficientes?

Assim aproveitaria o restante do dia.....

Nos meus 2 dias inteiros em BA separei um pra Lujan e 1 pro city tour basicao (caminito, casa rosa, la bombonera, obelisco, congresso etc)

Porem, no dia da minha chegado terei um fim de tarde/noite pra aproveitar a cidade.

Tem alguma sugestão??

Obrigado pelas dicas e tudo de bom pra vc!!

parabéns pelo Blog

Daniel Neves disse...

Olá,

Sobre a FABEBUS, até onde sei as reservas só são feitas por telefone, e eles não falam português - eles tentam, fazem esforço, mas não exija muito deles!

Como sugestão, tente por telefone no +54 2323 436304. Fale devagar, eles certamente vão te entender: algumas palavrinhas como "reserva", luján", "2 personas" são infalíveis!

O email info@fabebus.com.ar não fazia reservas, você pode tentar e ver se te responder alguma coisa.

Como sugestão, o pessoal da BsAs4U tem uma parceria com o blog para organizar translados até Luján. Como diferencial, você será atendido em português. Clique no banner abaixo para obter mais informações, horários e preços.

Sobre seu tempo em Luján, se as 4 horas são apenas para o Zoo, dá e sobra. Se você incluir a viagem toda, sobrará cerca de 2h30 no Zoo, o que pode ficar apertado, já que as principais atrações possuem longas filas, principalmente nos finais de semana.

Como sugestão de passeios para fim de tarde/começo de noite, eu caminharia em Puerto Madero, terminando na 9 de Julio, em frente o Obelisco. É um passeio noturno bem interessante, que atrai os turistas pelo constraste das paisagens com os prédios iluminados.

Um abraço!

Anônimo disse...

OLá Daniel, boa noite!

Vamos para BA semana que vem, e iremos conhecer, Lujan, você sabe me dizer se existe guarda volumes lá?
Obrigada

Daniel Neves disse...

Olá, não que eu saiba - quando estive lá, não me lembro de nenhuma área para "guarda volumes". Fiz algumas pesquisas e não achei nada. Mandei e-mail para eles, mas até agora não tive resposta. Um abraço!

Anônimo disse...

Olá Daniel. Adorei as dias. Mas uma dúvida.... como é feito o pagamento para a Fabebus? Abs

Anônimo disse...

"O bicho estava dormindo tranquilamente, e foi acordado com um jato de água na cara. Sem reagir, prontamente colocou-se à disposição para as fotos, mas a cada 5 minutos deitava e ameaçava dormir – catzo, o bicho acabou de comer! Mas a cada tentativa de um cochilo, ganhava um jato na cara. Tiramos as fotos, mas saímos de lá um pouco incomodados. Aqueles animais mereciam um pouco mais de respeito."
UM POUCO INCOMODADOS??? UM POUCO?
Em q nível chega a vaidade humana! Tudo pra tirar uma foto pra postar na internet!

Daniel Neves disse...

@Anônimo, a Fabebus só aceita dinheiro, e o pagamento é feito no momento do embarque, em Buenos Aires. Um abraço!

Daniel Neves disse...

@Anônimo, entendo que toda opinião precisa ser respeitada, mesmo aquelas que acham que simplesmente criticar é bem fácil, mas o que você faria no meu caso?

1) Sairia imediatamente da jaula, enojado(a) com a atitude do tratador?
2) Denunciaria os maus-tratos na administração do lugar, com a esperança de que fizessem alguma coisa?
3) Começaria a fazer propaganda negativa para boicotar o Zoo Luján, com a alegação de que os animais não são "bem tratados"?

Você provavelmente seria a única pessoa na jaula a desistir do passeio, as demais 19 pessoas que entraram com você certamente dariam de ombros para o bem-estar do pobre leão - elas pagaram caro, pegaram fila, querem mais é tirar a foto e passar a mão no leão.

Duvido que reclamar na administração teria algum efeito, você não seria a primeira (e nem a última) pessoa a reclamar de Luján, um lugar tão procurado quanto polêmico. Aliás, polêmica é o segundo nome do Zoo Luján: dizem que os animais são mal-tratados, dizem que são dopados.

Não sei se os bichos são dopados, presenciei casos (quem sabe isolados) onde as longas filas eram mais importantes que o bem-estar dos bichinhos. Por outro lado, os animais são muito bem alimentados, e presenciei muitos casos de tratadores fazendo carinho e cuidando nos bichos. Talvez a água tenha sido um fato isolado de um tratador num péssimo dia, talvez seja algo comum. Cabe a mim relatar o que presenciei, cabe a você ter o discernimento de saber o que fazer com a informação que recebeu, sem precisar visitar o lugar tampouco sem pagar 1 centavo por isso.

Enquanto blogueiro, meu papel é relatar os fatos de maneira imparcial e impessoal. Cabe a quem lê assumir se tal atitude do Zoo Luján é ofensiva o suficiente para decidir visitar ou não o lugar.

Se você espera opiniões efusivas, impulsivas e emotivas, desculpe-me, mas você está no blog errado. Não é questão de "vaidade", visito lugares para relatá-los no blog, e colocar uma opinião na internet requer responsabilidade. A foto em si é algo tão insignificante quanto a opinião de alguém que se acha do direito de ME criticar, ao invés de criticar o lugar.

Você ficou ofendido(a) com a maneira como o leão foi tratado, mas garanto que existem pessoas que não dão a mínima, nem para o leão e nem para você. Sim, eu fiquei "pouco incomodado" em ver o leão levar água na cara, mas não deixei de fazer o passeio (em tempo, já estava na jaula quando isso aconteceu, não tinha como "voltar atrás"). Também percebemos que os tigres não tomavam banho há pelo menos 1 mês, e isso nos incomodou o suficiente e decidimos não fazer o passeio.

Lamento, mas o Zoo Luján não mudará por sua causa. O lugar continuará a ser polêmico, e é isso que faz de lá uma atração tão procurada. Se a maneira deles trabalharem te afeta, te incomoda, te enoja, minha recomendação é mais simples: simplesmente não vá.

Felipe disse...

Olá, ótimas informações no blog. Mas fiquei com uma dúvida quanto à antecedência que você diz para reservar o FABEBUS. Ligar e reservar no dia anterior ao passeio ficaria muito em cima?
Obrigado!

Daniel Neves disse...

Olá Felipe,

Como toda atração turística muito procurada, depende da data e do horário.

Se for num final de semana (especialmente domingo) ou feriados, se você ligar 1 dia antres provavelmente os primeiros horários já estarão lotados, você terá que remanejar seus horários - por exemplo, ir para Luján depois do almoço, o que limitará o tempo que você poderá ficar.

Nestas datas, recomendo que você faça a reserva com 1 semana de antecedência para evitar transtornos.

Por outro lado, se for um dia de semana, você pode embarcar até sem fazer reserva, é só aparecer no local de saída no horário que for melhor para você.

Um abraço!

Luiz Afonso disse...

Olá, Daniel!

Dicas ótimas e matéria bem detalhada. Apenas gostaria de saber a questão de conversão do dinheiro, já que será minha primeira viagem internacional. A FABEBUS exige o pagamento com a moeda argentina ou reais é aceito também? E no Lujan não é necessário compra antecipada de ingresso ou algo do tipo, né? Indica algum hotel com uma boa praticidade e facilidade para o turismo em si?

Até mais!

Daniel Neves disse...

Olá Luiz Afonso,

O pagamento da FABEBUS deve ser feito em pesos argentinos. Me disseram que eles estão aceitanto reais, mas a conversão é péssima – é melhor você sacar pesos no caixa eletrônico e pagar o transfer em espécie.

O ingresso em Luján é pago na hora, logo na entrada, não é possível comprá-lo com antecedência. Sobre a moeda, Luján só trabalha com dinheiro, nada de cartões, e só aceitam pesos.

Sobre o hotel, depende muito do que você pretende fazer: para visitar as principais atrações, o ideal é ficar no centro, na região do Obelisco e 9 de Julio, assim você ganha tempo nos deslocamentos de metrô. Agora, se o objetivo for fazer um roteiro gastronômico, prefira ficar em Palermo, onde estão os melhores restaurantes da cidade.

Sobre hospedagem, já fiquei em alguns hotéis em BsAs, mas recomendo que você aproveite o acordo que o blog possui com o site www.booking.com para pesquisar hotéis em Buenos Aires diretamente pelo nosso site com toda praticidade e segurança. Do lado direito da nossa página você encontrará uma aba chamada “Reserve seu hotel”, clique nela e entre seu período de viagem, selecione o bairro, veja as notas e as avaliações de quem já se hospedou. Tenho certeza de que a ferramenta será útil.

Um abraço!

Luiz Afonso disse...

Entendi, Daniel. Dúvidas sanadas!
Em questão do hotel, eu e minha esposa possuímos um convênio e reservamos um próximo ao obelisco, pois como você indicou, queremos aproveitar as atrações turísticas de Buenos Aires. Como estaremos de carro, acredito que será fácil chegar a Palermo.
Muito obrigado!

Abraço!

Katia disse...

Olá, gostaria de deixar registrado nossa experiência....
Eu e meu esposo, acabamos de chegar de BA.
Decidimos ir ao Zoo de ônibus pois além de ficar mais enconta não queríamos ficar "presos" ao guia.
Compramos o cartão SUBE por 15,00 pesos e carregamos + 80,00 pesos.
Pegamos o metrô até a Plaza de Miserere.
De lá, o ônibus da linha 57/ Atlântida.
A viagem foi de 1:15 hs e muito tranquila.
O único detalhe é que não pode esquecer de avisar o motorista que vai descer no Zoo.... Outra dica, ao descer do ônibus você fica com receio porque tem que passar por debaixo de uma ponte. Mas é só impressão, porque é só passar e virar a direita e lá está. Na volta é só esperar o ônibus na esquina do zoo.
Contabilizando tudo:
Entrada 300,00 pesos (Pagamos R$ 100,00 os dois)
Metrô 10,00 pesos (ida e volta)
Ônibus 66,00 pesos (ida e volta)
Água 20,00 pesos
Total= 396,00 pesos para os dois
VALEU A PENA!!!

Geiza Périco Domingues disse...

Me ajudou muito seu post ... estava preocupada em como chegar no zoo ... e essa empresa FABEBUS resolveu meu problema ...

Eu gostaria de saber quanto tenho que levar para o passeio? Vc comeu por lá? Quanto fica?

O ônibus é direto para o zoo ... ou tem alguma parada?

Tem a gorjeta para os tratadores né?

Eu fui em 2010 mas com guia ... ficou muito caro ...

Gostaria se vc pudesse, saber mais ou menos quanto gasto no passeio todo.

Obrigada

Daniel Neves disse...

Olá Geiza, seguem as respostas:

1) O ônibus faz Hotel Republica (no centro de BsAs) até o Zoo de Luján sem paradas, tanto na ida quanto na volta;

2) Gorjeta (1): A gorjeta para os tratadores não deve ser vista como uma obrigação. Dê a gorjeta para os que forem simpáticos, atenciosos com os turistas e principalmente tratem os animais bem – no meu caso, aquele tratador que jogou água na cara do leão não ganhou 1 centavo;

3) Gorjeta (2): Sobre quanto dar, depende da sua disponibilidade, do quanto você acha que vale. Convencione entre 5-10 pesos por tratador, quanto achar que valeu a pena;

4) Comida: Prefira passar no mercado antes e comprar pão, frios, bebidas. O Zoo possui 2 lugares que se entitulam restaurantes, o primeiro vende lanches (hamburgueres, hot-dogs, etc) feios e caros, enquanto o segundo até tem uma parrilla, mas pelo que vi não me pareceu ser dos lugares com melhor higiene do mundo;

5) Quanto levar: Quando fiz o passeio, separei 600 pesos para duas pessoas, incluindo o transfer da FABEBUS (140 pesos), o metrô até o centro (10 pesos), os ingressos (260 pesos), as coisinhas que compramos no mercado (pão, frios, suco e água, cerca de 100 pesos) e a caixinha dos tratadores. Ainda sobraram uns trocados.

Importante 1: A entrada no Zoo subiu de 130 para 150 pesos. Ajustando o valor acima, você gastaria 550 pesos, fora as gorjetas. Acho que 600 pesos ainda são suficientes, dependendo do quão boazinha você for com os tratadores.

Importannte 2: Se você olhar o comentário #25, verá que a Katia gastou 396 pesos no passeio dela, trocando o transporte da FABEBUS pelo ônibus 57.

Espero tê-la ajudado, um abraço!

Fábio de Souza disse...

Estive em Lujan no mês passado (14/10/213) e paguei 90 pesos ida e volta com a FABABUS. Acho importante avisar que as vans estão saindo do terminal que fica embaixo do obelisco, parada número 02. Liguei um dia antes para reservar e foi tudo muito tranquilo.

Unknown disse...

Olá! Obrigada pelas dicas. mes que vem (23/12) iremos para lá... vou ver se vamos com o transporte Fabebus ou outro... as vezes vale mais a pena gastar um pouco mais e ter conforto...
Quanto ao que aconteceu ao leao... poxa eu fiquei triste...claro que se eu pudesse fazer alguma coisa eu faria... mas é dificil ne? Nao depende so de mim ou de vcs... devemos sim respeitar os animais...sinceramente? se eu for la e eles tiverem dormindo pode deixar dormir! o importante é estar ali pertinho...isso ja me basta...

Diego disse...

Olá,
Estou indo para Buenos Aires em 24/12, e vou com certeza ao Zoo Lujan e gostei muito da dica do ônibus intermunicipal.
Mas vi que os ingressos já subiram de 100 para 150 pesos, será que nessa época do Natal, pode subir mais ainda??
Obrigado.

Daniel Neves disse...

Olá Diego,

Acho que eles subirão o ingresso no começo de 2014, assim como fizeram nos anos anteriores. Até onde sei, eles não costumam praticar preços diferentes por ser final de ano, época de Natal (que em teoria atrai mais turistas).

Na dúvida, sugiro que você entre em contato com o Zoo Lujan na época em que você for para confirmar o valor.

Um abraço!

Sergiana Freitas disse...

Obrigada pelas informações Daniel e, principalmente, por informar o que você presenciou nesse zoológico. Tinha minhas dúvidas quanto a ir ou não, pois antes da minha diversão me preocupo mais com a índole do local e, as informações que tinha de lá eram meio deturpadas e você tirou todas as minhas dúvidas. Como não concordo com a forma como os animais são tratados lá, já tirei esse local da minha lista.

Gossip Gay disse...

Olá Daniel! Vim para Buenos Aires dia 25/12, quarta-feira. Fui ao Zoo de Lujan, só com as dicas do seu blog e do site do Zoológico. Fui com mais duas pessoas e também resolvemos ir por conta própria, pela Línea 57. Acho importante dizer que se pega o ônibus na Av. Sarmiento mesmo, no sentido vindo para a estação Plaza D'Italia...Custa cerca de 15 pesos o onibus, só aceitando o cartão Sube! O preço do zoo realmente aumentou, são 150 pesos agora.
Com tudo, gastamos 450 pesos (entrada Zoo) + 90 pesos (onibus) + 15 pesos (comida para os animais).
Realmente o passeio é muito bom, recomendo chegar bem cedo (9 horas) pois nas férias o parque fica muito cheio e muito quente a tarde!
Abraços, Vitor

Anônimo disse...

Ola tdb? Vou para Bs As em fev/2014, pelo Cruzerio MSC Magnifica, estou em um dilema. Vou chegar em Bs As às 09:00 e não sei se demora muito para desembarcar e o navio vai fazer uma pernoite até as 19h do outro dia, queria aproveitar o 1º dia para ir até o Zoo de Lujan, será que eu consigo comprar algum passeio no porto assim que desembarcar? Visto que meu navio não oferece passeio para la..
Ou há outra opção? Taxi ficaria muito caro? Tenho medo em deixar para o outro dia e perder a hora, o navio não espera....

Obrigada

Daniel Neves disse...

Olá @Anônimo,

Totalmente possível. O navio atraca no centro da cidade, distante cerca de 5km do ponto de saída das vans da Fabebus para Luján. Faça o trajeto de taxi, é rápido e barato.

Dei uma olhada no site da MSC, eles possuem vários tours que podem ser fechados no porto, mas nenhum deles vai até Lujan. Você terá que ir por conta própria.

No caso da Fabebus, o único porém é a reserva, já que é difícil precisar quanto tempo demorará o desembarque. Você ainda tem que incluir na conta eventuais atrasos, seja para atracar o navio, para desembarque dos passageiros.

Se o seu dia de chegada for durante a semana, não precisa fazer reserva, vá direto para o ponto de saída da Fabebus e pegue a próxima van - veja no site deles a tabela de horários para programar-se.

O único risco é se você chegar em BsAs durante a semana, onde as vans costumam partir para Lujan lotadas. Mas acho que vale o risco.

Uma opção mais garantida é fechar o traslado via BsAs4U, uma agência mais personalizada. Por exemplo, eles podem te pegar no porto, e esperar o tempo que for necessário para que você desembarque sem correria.

É óbvio que tanta comodidade tem seu custo, mas vale a pena entrar em contato e fazer uma cotação. Como o blog tem uma parceria com eles, no topo do post tem um banner para você entre em contato via email.

Espero tê-la ajudado, um abraço!

Anônimo disse...

Muito obrigada!!!

Anônimo disse...

Vc digita no google e seu Blog é o primeiro... ainda bem, pois com as informações daqui que eu consegui chegar a Lujan sem gastar horrores...

No lobby do hotel me pediram 600 pesos por pessoa...

Eu fui, mais minha esposa, com a Fabebus (muito tranquilo e 90 pesos ida e volta), paguei as entradas (200 pesos cada), comprei 2 fotos, ração para os bichos, água e coca-cola, e não gastei 800 pesos!!!

Para a pessoa de um comentário que vi aí:
- o cheiro é normal de qualquer criação... ou vc acha que em ambiente normal os bichos se perfumam???
- quanto aos banhos... até onde eu saiba NÃO SE DÁ BANHO EM FELINOS... para sua higienização eles ficam se lambendo o dia todo...

Não achei os bichos sedados... talvez um pouco "molengas", mas por causa da forma como são tratados... são gordos, com comida praticamente o dia todo...

Adorei o passeio!!!

Melissa Inoue disse...

Obrigada pelas informações, me ajudaram muito!
Fomos com a Fabebus, eu e meu noivo. Foi muito tranquilo, confortável, quase 1 hora de viagem para chegar ao zoo, 90 pesos ida/volta por pessoa e são bem pontuais. Fomos numa 6a. feira de fevereiro e ligamos um dia antes para agendar o horário (9:15). Acho importante informar que o embarque não é mais em frente ao Hotel República, mas ele é um bom ponto de referencia. Demoramos um pouco para encontrar o lugar certo: de frente para o hotel, você caminha até a próxima rua à esquerda, se não me engano é a Sarmiento com a 9 de Julio.. na 9 de Julio tem uma plataforma subterrânea, de onde saem várias vans. A entrada do Zoo custa 200 pesos por pessoa, a ração para os animais 10 pesos (1 saco é suficiente para o dia inteiro) e as fotos cerca de 40 pesos, se quiser comprar. A comida dos restaurantes não são muito gostosas, mas dá para encarar. No centro de BsAs têm empresas de turismo que oferecem o passeio com guia que fala português por 550 pesos cada, com entrada incluída, mas achei a comodidade muito cara...

Anônimo disse...

Olá Daniel, gostaria de tirar umas duvidas, irei fazer conexao em buenos aires, sera uma conexao demorada, chegarei as 8hs em BA e o proximo voo as 21hs, estava querendo visitar o zoo de onibus(57) por ser economico, o que vc acha? é tranquilo? onde compro os bilhetes? pq nao é igual aqui no rio que vc entra e paga, é perto do aeroparque? aeroporto que estarei? desde ja agradeço!! meu e-mail: walla-bueno@hotmail.com

Daniel Neves disse...

Olá Anônimo,

Se entendi direito, você chega às 8hs no Aeroparque. A saída às 21hs também é no Aeroparque? Se sim, dá para visitar sim, sem maiores problemas.

Como o tempo é curto, recomendo que faça o traslado via FABEBUS - acima você encontrará informações sobre como contatá-los e reservar seu lugar na van.

A entrada é paga no ato da entrada do parque, não dá para comprar antecipadamente. O site www.zoolujan.com tem os preços atualizados, eles só aceitam dinheiro.

Do Aeroparque você precisará ir até o Obelisco, no centro da cidade, de onde saem as vans. Dá para fazer o trajeto de metrô ou taxi - como tempo é uma variável importante, opte pela segunda, taxi é muito barato em BsAs.

Um abraço!

*** RESERVE SEU HOTEL COM O VIAJANTE COMILÃO: É O MESMO PREÇO DO BOOKING.COM, E ASSIM VOCÊ AJUDA O BLOG A GANHAR UNS TROCADOS ***

DENISE DECHEN disse...

Daniel, adoro seu Blog, nele encontramos informações preciosa, mas quanto a esse post, devo dizer que não é uma questão de ser imparcial, pois a realidade das péssimas condições que os animais ali são mantidos é cruel e muitas pessoas saem dali chocadas. Os animais vivem dopados a base de drogas para se deixarem acariciar, em condições péssimas de higiene, e como se não bastasse ainda levam jatos de água na cara para se moverem. São animais que já sofreram o suficiente usados por circos que os descartaram. Mostrar a realidade que está por detrás de um comercio cruel para turistas e visitantes, considero uma informação de extrema importância para que cada um decida se quer ou não fazer parte disso. Assim como embalagens de produtos informam se tem esse ou aquele componente, e cada um decide o que usar.
Por sinal esse Zoo está na mira das autoridades e ameaçado de fechar pelas denúncias de crueldade contra os animais...

Mais uma vez o parabenizo pelo belo trabalho, e meu desejo de que em 2015 você tenha cada vez mais sucesso!

Att,
Denise Dechen

Emerson Valverde disse...

ola boa tarde,

Gostaria de saber qual o valor de ida e volta para o Zpoo de Lujan ?

Jane Gulliard disse...

eu fui ao Lujan uma vez na minha quinta vez em Buenos Aires, para nunca mais!! fiquei enojada com o tratamento que dao aos animais, principalmente aos ursos e leoes, os filhotes entao nem se fala pareciam todos dopados ... é um FreakShow dos piores e nao recomendo ninguem a ir e continuar patrocinando este circo sem graça.. sei que turista nao esta nem ai e o que importa é 'aquela foto' postada nas redes sociais com um animal selvagem mas por respeito à vida este zoo deveria ser fechado imediatamente.
* tambem presenciei funcionarios acordando animais sonolentos e dopados com jatos de agua na cara a cada 2 minutos para satisfazer o ego irresponsavel de turistas histericos.

Postar um comentário

Pesquisar no Blog

Guias de Viagem


Álbuns de Fotos

Instagram


Anuncie no Viajante Comilão




Você gostou do blog? As dicas de viagens e reviews de restaurantes foram úteis para ajudá-lo(a) a planejar sua viagem?

O Viajante Comilão é um serviço 100% gratuito. Se você gostou do nosso serviço, ajude o blog a continuar seu trabalho: o link abaixo direciona para o site do PayPal, um serviço 100% seguro para que você possa fazer uma doação para o blog, usando seu cartão de crédito.

Contamos com sua contribuição. Obrigado!


Payments By PayPal